sábado, 29 de abril de 2017

Missa da Saúde 06/05/2017


PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CANDELÁRIA 

Temos a honra em convidá-los a participar da Missa da Saúde que iremos realizar no dia 06 de maio de 2017, às 15 horas, em nossa Matriz na 
Vila Maria - São Paulo - SP.

Venha com sua família celebrar conosco

Padre Sebastião Pitz



sexta-feira, 7 de abril de 2017

Luz do mundo

"Eu sou a luz do mundo" (João 8.12)

Jesus declara que Ele é a luz do mundo. Ao fazer isso, Ele diz que é Deus. Jesus não apenas nos ensina como ser iluminados, mas diz que é a própria luz do mundo.

A Bíblia diz, no Antigo Testamento "O Senhor é a minha luz e a minha salvação..." (Salmo 27.1). Portanto, quando Jesus diz "Eu sou a luz" Ele está dizendo: "Eu sou o Senhor, a luz e salvação". O Antigo Testamento também diz: "O meu Deus transforma em luz as minhas trevas" (Salmo 18.28). Então, quando Jesus diz "Quem me segue, nunca andará em trevas, mas terá a luz da vida", Ele está dizendo: "Eu sou o Senhor Deus, que transforma em luz as suas trevas".

Quando os líderes religiosos ouviram Jesus declarar que era a luz do mundo, eles imediatamente o desafiaram. Ainda hoje há pessoas que desafiam a declaração de Jesus de ser único e verdadeiro Deus, mas muitos veem a luz do mundo e reconhecem Jesus como Deus entre nós. "Pois Deus, que disse: 'Das trevas resplanceça a luz', Ele mesmo brilhou em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus na face de Cristo" (2 Coríntios 4.6). Deus revela a luz da sua glória por meio de Jesus!.

Por meio da oração, da meditação e do convívio com as palavras de Deus, cultivamos uma consciência diária e mais profunda do Cristo que habita em nós. Comprometemo-nos a demonstrar, deliberadamente, Sua presença por meio de nossas ações. É isso que significa ser um povo cheio do Espírito Santo, um povo que expressa o amor de Deus.  O poder de Jesus está à disposição a toda pessoa que crê, portanto nós, em posição de Filhos amados de Deus, sejamos como Jesus: a luz para o mundo.

Que Deus abençoe a todos.


Pastoral da Saúde - Paróquia Nossa Senhora da Candelária
Kety Hungaro

Nossa oração modifica as circunstâncias e nos modifica

E aconteceu que, enquanto ele orava, a aparência do se rosto se transfigurou e suas vestes resplandeceram de brancura (Lucas 9.29)

Jesus subiu ao monte para orar. Ele tinha anunciado que em breve sofreria grande agonia. Os líderes religiosos O rejeitariam e Ele seria morto. Jesus, que era plenamente humano e plenamente divino, deve ter se angustiado.

Enquanto Jesus orava na montanha, a glória de Deus brilhou por intermédio Dele. Seu rosto se transfigurou e Suas vestes resplandeceram de brancura. Os grandes profetas, Moisés e Elias, apareceram e conversaram com Jesus. Deus apareceu, dizendo: "Este é o meu Filho". Após esse tempo no monte, Jesus foi capaz de enfrentar Pilatos, e os soldados romanos. Foi capaz de enfrentar a rejeição, o ódio, as agressões, os espancamentos e a agonia na cruz.

Quando nós oramos, Deus, às vezes, modifica as circunstância e, às vezes, a oração nos modifica.

Qualquer que seja a forma que a resposta assuma, a mensagem de Deus é: "Eu amo você e estarei sempre ao seu lado"

Fraterno abraço,

Pastoral da Saúde - Paróquia Nossa Senhora da Candelária
Kety Hungaro

Não viver para nós mesmos

Queridos(as) irmãos(as),

Neste período, a fé cristã celebrará a Semana Santa, os últimos dias da vida de Jesus: a instituição da Santa Ceia e a prisão, julgamento, morte e ressurreição do Senhor.

Frente a isso, perguntamos: Por que e para que esses acontecimentos? Nos dias de hoje, existe um grande egoísmo na vida humana, seja ele individual, coletivo ou social. Os valores da sociedade pós-moderna enfatizam o individualismo, personalismo, egoísmo, egocentrismo. Somente tem valor aquele que é belo, forte, poderoso, competidor, que produz muito.

A ambição é o centro de tudo isso. Quanto mais se evidenciam esses valores, mais a vida se empobrece e fragiliza, discrimina e marginaliza as pessoas. Tudo é fruto do pecado: viver para si mesmo; fechar-se em torno de si; ser independente, inclusive de Deus; negar a comunhão, a solidariedade e apoio ao próximo.

Pergunto novamente: Para que Jesus morreu?

A resposta histórica e mais comum é: para perdoar os nossos pecados; livrar-nos da prisão do pecado; restaurar a vida humana conforme o propósito de Deus. Levar-nos, de fato, a não estarmos centrados e escravizados em nós mesmos.

Em outras palavras, São Paulo afirma: "E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou" (2 Coríntios 5.15). E Romanos 14. 7-9: "Porque nenhum de nós vive para si mesmo, nem morre para si. Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. Quer, pois vivamos ou morramos, somos do Senhor. Foi precisamente para esse fim que Cristo morreu e ressuscitou: para ser Senhor tanto de mortos como de vivos".

A morte de Jesus Cristo quebra o poder do egoísmo, do viver para si mesmo. Deus não nos criou para vivermos fechados em torno de nós mesmos e sim para vivermos para Ele, ajudando sempre nossos irmãos mais necessitados, estendendo a mão, dando uma palavra de conforto. Deus nos criou e nos escolheu para vivermos a favor de nosso próximo e respeitá-los como filhos de Deus e nossos irmãos em Cristo, dar espaço à essa graça divina, em especial neste momento da Semana Santa.

Que a luz de Deus brilhe em seus corações e que Jesus ressurreto possa trazer a todos vida plena, solidária e vitoriosa.

Fraterno abraço,

Pastoral da Saúde - Paróquia Nossa Senhora da Candelária.
Kety Hungaro